sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Suspeito de assalto é preso em Itaquitinga

Suspeito de assalto é preso em Itaquitinga


Um homem suspeito de praticar assaltos, foi preso nesta quinta-feira (5), em Itaquitinga. Segundo a Polícia Civil, Alex Gomes de Souza, popular “Nem”, que não teve a idade informada, está sendo investigado por suspeita de participação em vários roubos na região e tinha um Mandado de Prisão em aberto. Em um dos casos, o assalto ao ônibus que transportava funcionários da empresa Jeep, onde ele teria sido reconhecido por várias vítimas, de acordo com os policiais. Após ser preso, ele foi encaminhado ao COTEL e ainda segundo o efetivo, as investigações irão continuar para a prisão dos demais integrantes do grupo criminoso.

Greve dos Correios em Pernambuco pode acabar nesta sexta-feira


Os funcionários se reunirão em assembleia para definir se aceitam o reajuste de 2% proposto na Audiência de Conciliação do Tribunal Superior do Trabalho

Em São Paulo e no Rio de Janeiro a greve acabou nesta quinta-feira (5) / Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil
Em São Paulo e no Rio de Janeiro a greve acabou nesta quinta-feira (5)
Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil
JC Online e Estadão Conteúdo

Os funcionários dos Correios em Pernambuco, liderados pelo Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos em Pernambuco (Sintect-PE), se reunirão em assembleia, nesta sexta-feira (6), às 10h, para definir se aceitam o reajuste de 2% proposto na Audiência de Conciliação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), realizada na quarta-feira (4). Caso haja concordância, a paralisação iniciada no dia 19 de setembro chegará ao fim no Estado. Em São Paulo e no Rio de Janeiro a greve acabou nesta quinta-feira (5).


Pela proposta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) elaborada pelo vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, os Correios concederiam um reajuste retroativo de salários e benefícios a agosto de 2017 em 2,07%, balizado pelo INPC. Na proposta anterior, sem mediação do TST e rejeitada pelos funcionários em assembleia, os Correios ofereciam reajuste de 3% a partir de janeiro de 2018, sem reposição para 2017.
Todas as cláusulas sociais serão mantidas por dois anos, de acordo com a sugestão do ministro Pereira, ainda que a cláusula 28, que trata do plano de saúde, continue em negociação mediada pelo próprio TST. O Tribunal estipulou prazo de 48 horas para avaliação e resposta sobre a decisão dos trabalhadores.

Reposição dos dias parados

Caso aceitem a proposta, os funcionários, como contrapartida, terão de repor os dias parados em até 64 horas de trabalho. A reposição seria feita em até seis horas por semana, na própria unidade dos Correios em que os paredistas trabalham, até 30 de dezembro deste ano. Funcionários que trabalham de segunda a sexta-feira fariam jornada adicional de seis horas no sábado, enquanto aqueles que também trabalham no sábado terão de trabalhar por mais quatro horas entre segunda a sexta-feira e mais duas horas aos sábados.

Em caso de rejeição, o vice-presidente do TST alertou aos representantes dos funcionários na audiência de que o julgamento definitivo do caso só deve ocorrer em dezembro, de modo que os trabalhadores acabariam perdendo quatro meses de reajuste retroativo, com reposição apenas a partir de dezembro.
Outro alerta feito pelo ministro do TST foi de que a tendência em casos como este é de compensação de 50% dos dias parados com reposição de horas e os outros 50% descontados na folha de pagamento. Se a abusividade da greve for mantida, os Correios ainda poderão considerar as ausências como faltas injustificadas ou até mesmo abandono de emprego.

Fim da greve no Rio e em São Paulo

Os trabalhadores dos Correios afiliados à Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) que atuam nas capitais de São Paulo e do Rio de Janeiro, assim como da região de Bauru, no interior paulista, aceitaram a proposta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) para 2017 e 2018 apresentada na quarta-feira, 4, pelo Tribunal Superior do Trabalho, encerrando a greve iniciada em 19 de setembro.

Herdeiros de beneficiários falecidos já podem sacar dinheiro do PIS-Pasep


Seguindo o calendário adiantado pelo Governo Federal, os pagamentos aos demais cotistas serão feitos a partir do dia 19 de outubro

Apenas trabalhadores cadastrados no PIS/Pasep até 04/10/1988 têm direito a saque de saldo disponível / Foto: Agência Brasil
Apenas trabalhadores cadastrados no PIS/Pasep até 04/10/1988 têm direito a saque de saldo disponível
Foto: Agência Brasil
JC Online

Embora o calendário de pagamentos aos beneficiários do PIS-Pasep tenha sido adiantado para o dia 19 de outubro, os herdeiros de pessoas falecidas que têm direito ao valor já podem realizar os saques em agências da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil.
A liberação dos recursos do PIS-Pasep para cotistas idosos foi determinada pela Medida Provisória 797/2017, destinando-se  a mulheres a partir de 62 anos e homens a partir de 65 anos que ainda tenham saldo nas contas vinculadas no Fundo, criado na década de 1970.
Para realizar os saques é preciso que os representantes legais apresentem a documentação necessária. Para os demais casos, os recursos sócomeçam a ser liberados no dia 19 de outubro, segundo o calendário estipulado.
Com os pagamentos, a estimativa do governo federal é de injetar R$ 11,2 bilhões na economia e beneficiar aproximadamente 6,4 milhões de trabalhadores cadastrados no Fundo no período de 1971 a 04/10/1988.

Para os saques de cotas de falecidos é preciso ser apresentado o documento de identificação pessoal válido do sacador, o comprovante de inscrição PIS-Pasep (opcional - caso os dados apresentados não permitam a identificação da conta PIS-Pasep), e o documento que comprove a relação de vínculo com o titular, como certidão ou declaração de dependentes habilitados à pensão por morte expedida pelo INSS; atestado fornecido pela entidade empregadora (no caso de servidor público); alvará judicial designando o sucessor/representante legal; formal de partilha/escritura pública de inventário e partilha.

Consultas

As contas do PIS vinculadas aos trabalhadores do setor privado são administradas pela Caixa. Já as contas do Pasep, vinculadas aos servidores públicos, são administradas pelo Banco do Brasil.
Apenas trabalhadores cadastrados no PIS/Pasep até 04/10/1988 têm direito a saque de saldo disponível. A consulta sobre a existência de saldo de cotas do PIS pode ser realizada no site da Caixa.

Santa Cruz: Derley pede presença do torcedor contra o América-MG

Volante agradeceu aos torcedores do que compareceram ao treino na quinta (5) e exaltou a influência do Arruda lotado para o desempenho do Santa Cruz


Derley declarou que apoio do torcedor vai ser fundamental para o time buscar uma vitória contra o América-MG / Diego Nigro/JC Imagem
Derley declarou que apoio do torcedor vai ser fundamental para o time buscar uma vitória contra o América-MG
Diego Nigro/JC Imagem
Heitor Nery
hnery@jc.com.br
A torcida do Santa Cruz marcou presença no treino de ontem no Arruda. Cerca de 100 torcedores compareceram nas arquibancadas para apoiar e incentivar o elenco diante do momento complicado na Série B. Um aquecimento do que poderá acontecer na partida de amanhã.


"Nós ficamos até agradecidos pelo apoio que o torcedor nos deu no treino. Sábado a gente necessita do apoio do torcedor mais do que nunca pelo momento que estamos passando. Então acho que chegou o momento de todo mundo jogar junto", declarou o volante Derley em entrevista coletiva.
Apesar de ser a sétima maior da Série B, a média de público de 4,793 torcedores é um número menor do que o clube tricolor se acostumou a colocar nos últimos anos em seu estádio. Quando a equipe disputou as séries C e D, o Santa Cruz conseguiu se colocar entre as maiores médias de público do Brasil. Por conta disso, os jogadores sabem da força que o Arruda cheio pode exercer numa partida.

"Quando o time mais precisa, eles apoiam. Esse apoio contra o América-MG vai ser fundamental para a gente buscar uma vitória e, quem sabe, sair dessa zona que tá incomodando a gente bastante. Esse Arruda lotado pode ser aquele famoso 12º jogador que, nesse momento, a gente precisa mais do que nunca dele", afirmou o volante.

Necessidade de vitória

Dentro da zona de rebaixamento e com a Série B se aproximando de seu final, o Santa Cruz se vê na necessidade de voltar a conquistar uma vitória em seus domínios.
"A necessidade de vencer é gigantesca. Vamos enfrentar um time difícil, mas acho que todo mundo nessa Série B tem condição de vencer todo mundo. Infelizmente nossa briga hoje é pra não cair e para sair precisamos vencer dentro de casa. Vai ser um jogo dificílimo, mas temos que fazer prevalecer o fator mando de campo", afirmou Derley.

Professora também está entre vítimas de incêndio em creche


Mais de 15 pessoas, entre crianças e adultos, ficaram feridas
Professora tentou salvar as crianças mas não resistiu às queimaduras / Foto:Reproduçã
Professora tentou salvar as crianças mas não resistiu às queimaduras
Foto:Reproduçã
JC Online com ABr

A professora Heley de Abreu Silva Batista, de 43 anos, foi mais uma vítima do incêndio que matou quatro crianças na manhã dessa quinta-feira (5), em uma creche na cidade de Janaúba, no norte de Minas Gerais. Segundo autoridades policiais e a prefeitura, o incêndio foi provocado por um segurança da Creche Municipal Educacional Infantil Gente Inocente, que também morreu. Mais de 15 pessoas, entre crianças e adultos, ficaram feridas.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio ocorreu por volta das 9h40. Oito viaturas e dois helicópteros foram utilizados no atendimento às vítimas, que foram encaminhadas para o Hospital Regional de Janaúba (Fundação Hospitalar de Janaúba) e o Hospital Fundajan. Equipes de bombeiros que estavam de folga também foram escaladas, devido à gravidade do caso.

Nas redes sociais, a população pede a doação de luvas, dipirona injetável, soro fisiológico, sulfadiazina de prata (pomada bactericida usada no tratamento de queimaduras), agulhas, seringas, cateter do tipo Jelco e pomadas.

Assaltos a ônibus: sindicato contabiliza 3.025 e SDS registra 1.129


Entidade diz fazer levantamento no local, já o governo contabiliza as ocorrências registradas

Protesto dos rodoviários parou o Centro do Recife nesta quinta / Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Protesto dos rodoviários parou o Centro do Recife nesta quinta
Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Cidades

No mesmo momento em que os rodoviários paravam o trânsito do Centro do Recife, nesta quinta, em protesto contra o aumento nos assaltos a ônibus, o governador Paulo Câmara comemorava, em entrevista à Rádio Jornal, a redução desse tipo de ocorrência. A diferença na abordagem do tema vai além do cargo de cada um. Pelo levantamento do Sindicato dos Rodoviários, houve 3.025 assaltos a ônibus este ano, até anteontem. Já as estatísticas da Secretaria de Defesa Social (SDS) registram 1.129 ocorrências de janeiro a setembro, ou seja, menos de metade.


A disparidade é amenizada pelo governador. "A força-tarefa para acompanhar os principais trechos (de assalto) ocorre. Independente da metodologia, eu tenho certeza que houve diminuição, a própria população elogiou isso", declarou. “Essa força-tarefa está agindo nos corredores. Houve planejamento para entrada dos policiais nesses corredores e isso vai continuar. Você vai ver que essa dinâmica, ela não é fruto de 15 dias, ela vai durar permanentemente e vai influenciar não só os CVLIs (homicídios) como crimes contra o patrimônio".
Conforme o presidente do sindicato, Benílson Custódio, o levantamento da entidade é feito com informações dos rodoviários, confirmadas pessoalmente pela diretoria. Segundo ele, motoristas e cobradores são orientados a só registrar a ocorrência quando é levada a renda do coletivo. Uma informação que, inclusive, já foi repassada ao JC
pela própria assessoria de imprensa da SDS em dezembro passado.
“E não é só isso, ainda esta semana houve um assalto na Várzea em que o cobrador foi esfaqueado na mão. O motorista levou o ônibus à Delegacia de Jardim São Paulo para registro da ocorrência e mandaram ele ir para a de Boa Viagem, alegando que já eram 18h. Resultado: não houve registro”, afirma Benílson.

INCONSISTÊNCIA

O coordenador da Força-Tarefa de combate aos assaltos a ônibus pela Polícia Civil, delegado Joel Venâncio, contesta os dados do sindicato. “Deve ter inconsistência, não é possível um número tão alto”, diz. “Não sei que critério utilizam. Mas não temos interesse em esconder números e sim em apurar os casos. Tanto que já prendemos 126 pessoas envolvidas em assaltos a ônibus este ano”.

Ele informa estar à disposição do sindicato para discutir metodologia. E diz que as polícias estão trabalhando não só com a fiscalização, investigação e prisão dos envolvidos. “Também padronizamos os boletins de ocorrência e exigimos que trocassem as câmeras dos ônibus por equipamentos de melhor resolução”.
Por outro lado, o delegado salienta que os números do mês de setembro ainda são preliminares, pois só são fechados no dia 15, portanto, a redução de 45% citada pelo governador (e de 52% em relação a agosto, que teve 151 casos) pode não se confirmar. Apesar de reconhecer a possibilidade de subnotificação, o delegado afirma que as empresas são orientadas a registrar todas as ocorrências, inclusive quando apenas os passageiros são assaltados.

USUÁRIOS RECLAMAM

Conflitos numéricos à parte, usuários de coletivos reclamam da insegurança que resultou no quarto protesto dos rodoviários este ano, com direito a bolo e velas com o número 3.000. “Fui roubada dentro de um ônibus da linha Rio Doce/Príncipe faz 25 dias. Era um casal com uma faca, roubou todos os passageiros. Sonho com o homem puxando minha bolsa todo dia, traumatizei”, relata a dona de casa Mônica do Nascimento, de 49 anos.
“A gente anda com medo, desconfiado, é um clima de terror. E não vemos policiamento”, afirma o autônomo Israel Almeida, 55. O aposentado José Cícero da Silva, 66, reforça: “Esses policiais novos foram todos para o interior, era só fantasia”.

Bienal do Livro tem início nesta sexta debatendo Lima Barreto


Autora paulista vem ao Recife para o evento e vai ministrar a palestra de abertura

Walnice Nogueira vem à Bienal falar sobre Lima Barreto e direitos humanos / Foto: Bel Pedrosa/ Divulgação
Walnice Nogueira vem à Bienal falar sobre Lima Barreto e direitos humanos
Foto: Bel Pedrosa/ Divulgação
JC Online

Euclides da Cunha, Walter Benjamin e o Carnaval do Rio de Janeiro poderiam não ter nada em comum se não fosse por Walnice Nogueira. A ensaísta e professora emérita de teoria literária e literatura comparada da USP, é autora de Euclidiana, Prezado Senhor, Prezada Senhora e Ao Som do Samba: Uma Leitura do Carnaval Carioca, entre outros livros.


Mas é sobre Lima Barreto, outro grande autor nacional, que Walnice vai se debruçar na palestra de abertura da 11° Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, nesta sexta-feira, às 19h, no Centro de Convenções de Pernambuco. A palestra segue a mesa de abertura do evento, que conta com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, que vem trazer uma ótima notícia para os pernambucanos: a liberação da verba de R$ 3 milhões para a reforma do Teatro do Parque.

Lima Barreto e direitos humanos

A palestra que Walnice vem ministrar se intitula Lima Barreto: a República e os Direitos Humanos, trazendo para o cerne da questão o lado militante do autor carioca que é um dos homenageados desta edição da Bienal, cujo tema é Literatura, Democracia e Liberdade. "Lima Barreto foi um paladino dos direitos humanos, da defesa da República e da Constituição", explica a escritora. "Em sua obra, ele atacou com muita veemência o racismo, se posicionou contra a desigualdade e defendeu os pobres."
A autora, que é também conhecida por sua meticulosa pesquisa em torno da vida e da obra de Guimarães Rosa, se viu principalmente bastante envolvida com Lima Barreto nos últimos tempos. Ela organizou, junto a outros autores, o livro A crônica Militante (Expressão Popular), que reúne diversos textos do autor de Clara dos Anjos.

"Ele foi, sem dúvidas, muito a frente de seu tempo, defendia posições muito liberais para sua época", relembra Walnice, ressaltando and ao fato de Lima Barreto ter se candidatado duas vezes para a Academia Brasileira de Letras, ABL, apesar de nunca ter sido eleito. "Inclusive naquela época o presidente da ABL era Machado de Assis."
Apesar de ter se especializado em literatura brasileira, Walnice Nogueira já foi uma leitora assídua de autores internacionais. “É curioso, mas eu demorei para chegar na literatura nacional, e cheguei através d’ O Guarani. Mas sempre li muito! Na minha casa havia liberdade irrestrita em relação à leitura, então desde criança eu gostava d’ A Odisseia, de Homero, dos livros de Alexandre Dumas, Jules Verne, e muitos outros. Não tinha isso de livro para criança e outros para os adultos”, explica.
Atualmente, Walnice continua acompanhando os lançamentos do cenário nacional e diz apreciar a obra de Silviano Santiago, principalmente seu último lançamento, Machado - que se encontra, inclusive, entre os finalistas do Jabuti deste ano.

O tempo e clima para Itaquitinga neste final de semana


Prorrogadas as inscrições para Processo Seletivo da Escola de Aplicação da Universidade de Pernambuco em Garanhuns